Sinto falta do teu odor. Procuro-o algures no meu corpo, nos lugares em que regularmente tocas. Não o encontro. Cravo a face na minha camisa azul de algodão e encontro o tão desejado aroma, entranhado na peça roupa. Sinto a fragrância requintada e tão doce, com um ligeiro toque a pimenta e um leve perfume pertencente às verdes folhas de laranjeira. Sinto falta da tua voz. Remeto os meus pensamentos a ti e a tudo o que é do teu domínio. Relembro o timbre da tua voz, bem junto ao meu ouvido, tão sereno e suave, tão afinado e formoso, tão encantador e delicioso. Sinto falta do teu respirar. Da forma como o teu peito oscila, entre movimentos ascendentes e descendentes, enquanto uma brisa amena é expulsa das tuas entranhas. Hoje, lembrei-me de todos os teus pormenores. Do teu feitio complexo, delicado e obstinado, que te assenta que nem uma luva. Do teu jeito e das variadas formas que utilizas para analisar as acções dos outros. Da forma como banalizas as opiniões dos demais. De como os meus dedos ficam encurralados entre as madeixas negras dos teus caracóis mal amanhados. De como me ficas bem, com os teus braços a contornar o meu corpo, com as minhas pernas desajeitadamente posicionadas em cima das tuas, com a marca das minhas unhas cravada nas tuas costas. Da cara de menino pequeno que, num curto representar, utilizas para que não fique indiferente ao teu anseio de me beijar. Da forma fácil, pura e genuína que, com esse olhar de carneiro mal morto, me dás a volta. E sinto a tua falta porque, ao teu lado, tudo é tão pouco, tão pequeno, tão rápido e tão nada. Fazes com que qualquer coisa que se tente sobrepor a ti vire poeira e cinzas porque, tu, és sempre melhor do que tudo. Hoje, lembrei-me do quanto me fazes falta de noite e de dia. Preciso que repitas tudo de novo. Ri-te, goza comigo, foge de mim, vira-me a cara, bate-me, deixa-me fugir do teu abraço apertado, faz-me correr apenas para fugir de ti, volta a sorrir e depois dá uma enorme gargalhada, daquelas que só tu sabes dar. Agora é a minha vez. Bato-te, riu-me enquanto me beijas, zombo de ti, viro-te a cara, corro com ligeireza para que me consigas apanhar mais rapidamente, deixo que quase me esmagues os ossos com a força do teu abraço, depois, salto para os teus braços e caí-mos na relva, que nos ampara a queda. Aí, ri-mos. Soltamos no vento as mais sinceras gargalhadas, sem darmos importância ao que pensam de nós. Hoje, só hoje, preciso que me protejas. Protege-me como se eu fosse bem pequenina e frágil, como se tudo me derrubasse e me partisse. Rodeia-me com esses teus braços fortes, robustos, musculados e tão, tão brandos e ternos, aproxima-me de ti e, com a força de mil homens, aperta-me. Protege-me do passado, do presente e das coisas más. Protege-me das mãos alheias e do frio. Protege-me como se eu fosse a única coisa que tens no teu mundo. Protege-me do simples facto de não querer ficar sem ti. Protege-me dos meus medos. Fica comigo e protege-me, só hoje. Deixa-me fazer as minhas mil e uma expressões, que tu tanto conheces e sabes de cor. Posso ter mil e um defeitos, cismar sem motivo, amuar por tudo e por anda, embirrar e fazer birra como se só eu importasse mas, no fim, acabo sempre por me render e por cair nos teus braços. Por isso, abraça-me e, quando puderes, abraça-me novamente porque apenas um abraço não chega. Hoje, mais do que nunca, preciso de ti.
O meu sentimento por ti é maior do que versos, estrofes ou poemas. É um sentimento demonstrado através de actos, simples gestos e pequenos detalhes. E hoje, será um amo-te maior do que o de ontem, um amo-te a ti, Miguel, para que nunca duvides que me dirijo a ti. ♥

96 comentários:

  1. Ele? Sinceramente, de qualquer coisa, para que não me volte a apaixonar para garantir que não volto a ficar com ninguém...

    ResponderEliminar
  2. Obrigado.
    Felizmente já está quase ultrapassado por isso aguenta-se (;

    [Não consigo comentar com a minha conta :s]

    Mandeei-te um convite no facee :b

    Beijinho, Joana Peixoto

    ResponderEliminar
  3. siim isso e verdade mas esta pessoa eu nao quero apagar nunca mesmo ;x

    ResponderEliminar
  4. pois mas isto é uma amizade e so esiste saudade por causa da distancia mas nao quero esque-la nunca **

    ResponderEliminar
  5. o curso de escrita criativa que estou a tirar é em Lisboa, na Companhia do EU, têm um site com informações sobre os curso, espreita que valea pena! ahhh... e este é "o" outro blog, mais recatado!

    ResponderEliminar
  6. Está muito muito bonito.
    Está assombroso, adorei imenso ler!

    ResponderEliminar
  7. podia ser ainda mais lindo se tivessemos juntos, mas enfim

    ResponderEliminar
  8. grande desabafo querida :s
    ah, ainda bem que gostate ;)
    força, beijinhos

    ResponderEliminar
  9. eu só gosto quando não tenho de sair de casa :p

    ResponderEliminar
  10. Gostas-te querida ?
    Lindo está o teu texto :)

    ResponderEliminar
  11. eles riem-se de nos chorar-mos ficam com a moral toda em altas '' ah aquela chora por mim '', '' ah aquela gosta de mim '', nao pode ser assim afinal somos oque? um tapete aonde eles limpam os pes? nao mesmo nao tenho nada desse feitio, para mim e assim quem quer quer, quem nao quer paciencia, sofrii 9 meses, quando venho sempre a saber quando acaba que tudo so passou de uma farsa, quando dizem isso recorro a ele e pergunto ele diz que nao, torno a recorrer aos outros dizem que foi dito por ele, que nunca gostou de mim, mas a mim ja me disse que amava, venerava e que era a vida dele, e uma situaçao um bocado caricata... o que faz com que para mim chorar acabou, lutar nao o vou fazer, desistir nao o vou fazer, esperar tambem nao, vou vinvendo num mundo irreal, que nem e certo nem e errado, nem e o que ele quer, porque ja nao me quer diz ele agora, nem eu o quero digo isto agora afirmando-lhe que estou bastante feliz quando aqui sim nao passa de uma farsa... quando mais desprezo mais veem atras de nos..

    ResponderEliminar
  12. sempre ouvi dizer quanto mais desprezo mais eles veem atras, quanto mais silencio mais dor, com o silencio vem a saudade, acho que era dos sentimentos principais pelo qual um dia acharia possivel matar-me: a saudade

    ResponderEliminar
  13. reparei que tinhas toda a razao naquilo que dizias e mesmo uma coisa sem pes nem cabeça, mas de cabeça quente nem pensamos no que estamos a fazer bem e no que estamos a fazer mal, o que faça com que ocorram todas estas acçoes menos boas

    ResponderEliminar
  14. Este texto tem qualquer coisa de especial o: amei mesmo, e amei o teu blogue. Sou agora mais uma das tuas seguidoras :o

    ResponderEliminar
  15. Eu não tenho medo dele, apenas do que ela possa fazer...

    ResponderEliminar
  16. Neste momento estou afastada do meu Mais-que-Tudo (ele está de férias) e a saudade aperta... e muito!



    Bom fim-de-semana *

    ResponderEliminar
  17. obrigada, obrigada :D
    ainda bem que gostaste.

    ResponderEliminar
  18. adorei o texto , felicidades!

    sigo o blog*

    ResponderEliminar
  19. obrigada, linda :)
    adorei o teu, está lindo*

    ResponderEliminar
  20. Obrigada, felizmente já esta quase ultrapassado ;s

    ResponderEliminar
  21. Para veres como as coisas são, tudo o que eu planeei falhou, agora não existe plano B e sinto-me quase sem o chão, tudo porque me convenci que o plano A era demasiado bom para falhar, aqui está a prova que devemos ter consciência dos nossos actos.

    ResponderEliminar
  22. Meu bem fiz um desafio um bocadinho diferente dos outros todos que o blog costuma ter, estás incluida e claro só fazes à tua vontade :) Escolhi-te porque gosto da tua escrita e tudo mais, alguma dúvida é só me dizeres.
    Caso o faças ou envia-me por comentário, ou então quando ele estiver no post do teu blog manda-me o link para eu ir ler sff, Janne <3

    ResponderEliminar
  23. Espero bem que sim.
    É da minha escritora favorita, Margarida Rebelo Pinto, ela é simplesmente fantastica !

    ResponderEliminar
  24. Já acreditei mais nisso, querida. Obrigada (:

    ResponderEliminar
  25. está difícil , mas pode ser que um dia volte a tê-lo mesmo (':

    ResponderEliminar
  26. eu acredito , acredito porque uma tempestade não dura uma eternidade .

    ResponderEliminar
  27. não são nem deviam ser,até porque ninguem merece perder alguem que ama

    ResponderEliminar
  28. Sincero, directo e sentido era isso que queria passar. Espero que tenhas gostado (:

    ResponderEliminar
  29. tenho sim, muito obrigada pelas tuas palavras :)

    ResponderEliminar
  30. sim , é (':
    não costumo criar demasiadas esperanças porque na maioria das vezes as coisas mudam , mas faço questão de lutar por quem vale a pena *-*
    obrigada pelas palavras «3

    ResponderEliminar
  31. exacto , não exige qualquer esforço porque parte de vontade própria (':

    ResponderEliminar
  32. obrigada, minha linda. ainda que gostas.

    ResponderEliminar
  33. é mesmo, e custa imenso a perda de alguem

    ResponderEliminar
  34. se pensarmos que os passos que nos trouxeram até aqui por algum motivo foi, talvez seja para dias melhores e pode ser, também, para que nos enfrente-mos mais obstáculos, que nos fortaleça ou ate que possamos cair de vez. Não sei, mas há de haver algum motivo, só não consigo encontrá-lo agora.

    ResponderEliminar
  35. Muito obrigada, princesa :)
    Escreves tão bem *-*

    ResponderEliminar
  36. gostei do teu blog estou a seguir (:

    ResponderEliminar

obrigada pela opinião (: